Sobre

Nossa histórias


REDE

A Rede Goiana de Psicologia surge através dos esforços de um grupo de estudantes e profissionais, cuja ideia começou a ser gerada ainda no ano de 2012. Tal grupo se mobilizava em uma série de entidades de classe: Centro Acadêmico, Associação Atlética e Ligas Acadêmicas, o que os fez perceber a necessidade de organização da categoria, para que pudessem ser alcançados os distintos objetivos que aquelas instituições propunham. Diante de tamanha fragmentação, vendo a necessidade de uma entidade que se organizasse em torno do objetivo de fortalecimento da ciência e da profissão, criou-se no ano de 2014 a Rede Goiana de Psicologia, como uma entidade estadual de colaboração entre profissionais e estudantes, com o objetivo de fortalecer a categoria no Estado através de uma série de projetos e ações acadêmicas, políticas, laborais e sociais.

Missão

Congregar a Psicologia do Estado de Goiás, promovendo com isto o seu fortalecimento e crescimento, levando benefícios para a comunidade de estudantes e profissionais da Psicologia associada, e para o público em geral.

Visão

Se tornar a maior Rede de Colaboração acadêmica, científica e profissional em Psicologia do Estado de Goiás.

Valores


Organização

Da classe profissional e estudantil em Psicologia no Estado de Goiás;

Trabalho em Rede

Como forma de expressão desta organização;

Colaboração

Acadêmica, científica e profissional, como resultando desta Organização em rede, com o fim de;

Excelência

No oferecimento de produtos e serviços.

Nossa metas

  1. Ser a maior rede de colaboração e comunicação em Psicologia no Estado de Goiás;
  2. Criar veículos de comunicação específicos para a Psicologia no Estado de Goiás;
  3. Se tornar a maior central de vagas de estágios e empregos em Psicologia no Estado de Goiás;
  4. Se tornar a maior rede de profissionais e estudantes associados em Psicologia do Estado de Goiás;
  5. Buscar benefícios para seus associados através de parcerias, contratos, convênios e promoções;
  6. Buscar espaço nas mídias digitais, televisões, rádios e impressos para difusão do conhecimento psicológico;
  7. Democratizar o acesso da população em geral aos serviços psicológicos.