Conteúdo

3 de outubro de 2017
Os benefícios psicológicos da prática de exercícios

Segundo uma pesquisa realizada pelo Ministério do Esporte, no ano de 2013, 45,9% da população brasileira é composta por pessoas sedentárias, sendo 50,4% de mulheres e 41,2% de homens.

Além dos inúmeros benefícios físicos que advém da pratica esportiva e/ou de alguma atividade física, podemos perceber também alguns benefícios psicológicos, como aumento da sensação de bem-estar, do vigor físico e consequentemente, redução da ansiedade e da depressão.

Após algumas revisões teóricas, pode-se perceber que o exercício físico pode ser uma forma alternativa de alívio da depressão e que a falta da prática de alguma atividade física pode estar relacionada a níveis mais altos da mesma. É importante ressaltar que essas relações são correlacionais, logo, o exercício físico pode estar associado a alterações na depressão, mas não são a causa direta.

“Vários estudos concluíram que a atividade física está positivamente relacionada com humor positivo, bem-estar geral e sintomas de ansiedade e depressão relativamente infrequentes. Outros resultados revelaram que o exercício está relacionado a diminuição da fadiga e da raiva, bem como o aumento do vigor, clareza de pensamento, energia e estado de alerta e com sensação aumentada de bem-estar.” Daniel Goud, Robert S. Weinberg.

Pesquisadores sugerem alguns procedimentos para aqueles que desejam, através da atividade física, obter mudanças positivas de humor, como: respiração abdominal rítmica, ausência relativa de competição interpessoal, atividades fechadas e previsíveis, movimentos rítmicos e repetitivos, exercícios que durem pelo menos 20 min, com intensidade moderada, feitos regularmente de 2 a 3 vezes por semana e, escolher um exercício que seja agradável, que lhe cause prazer.

O exercício físico também está associado a alterações positivas na autoestima, no autoconceito e na imagem corporal. O que nos mostra a importância de crianças serem estimuladas a praticarem alguma atividade física, seja ela, no contexto escolar, ou em casa, principalmente devido ao autoconceito.

Segundo Daniel Goud, Robert S. Weinberg, um autoconceito sólido é fundamental para o desenvolvimento e o ajustamento psicológicos saudáveis das crianças, e o exercício pode ser um ingrediente importante para ajudar crianças e adultos a se sentirem bem consigo mesmos.

É importante lembrar que o exercício físico é algo que independe de idade, gênero e classe social. É acessível e ao alcance de todos, vai desde uma caminhada diária, a prática de uma modalidade esportiva como o futebol.

Para crianças, se torna algo lúdico, onde elas aprendem sobre regras, interagem socialmente e gastam um pouco de energia. Para idosos, colabora com a saúde física, com os relacionamentos interpessoais, aumento da convivência com outras pessoas, além de ter efeitos benéficos nas funções cognitivas.

Enfim, está mais do que comprovado os benefícios diretos e indiretos da prática de qualquer atividade física. Vale ressaltar a importância do acompanhamento de um profissional capacitado para tal, como um Educador Físico. Bem como, o auxílio de um Psicólogo do Esporte, para que a prática se torne algo frequente, que a desistência diminua e que a atividade física se torne um hábito prazeroso para a vida de quem pratica.

 

Referências Bibliográficas

http://www.esporte.gov.br/diesporte/

WEINBERG, R. S.; GOULD, D. Fundamentos da psicologia do esporte e do exercício. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2017.

Compartilhe